quinta-feira, 25 de abril de 2013

Homem é preso com 180 quilos de crack em Cajati Vale do Ribeira


 
De acordo com as informações um garçom foi preso nesta quarta-feira (24) em Cajati, no interior de São Paulo, com drogas e armas de uso restrito. A prisão em flagrante do individuo foi realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF)  O entorpecente, estimado num valor em R$ 900 mil, seria entregue provavelmente  na capital paulista.De acordo com a polícia, o rapaz de 39 anos, morador de Foz do Iguaçu (PR), dirigia uma Kombi com placas do município de Cascavel (PR) pela Rodovia Régis Bittencourt quando, na altura do município de Barra do Turvo, no interior de São Paulo, passou pela equipe da PRF, que realizava uma operação de combate ao crime. Os policiais suspeitaram do veículo e passaram a acompanhá-lo. No km 517 da rodovia, já na cidade de Cajati, aconteceu a abordagem.Todo o material apreendido estava em teto falso de veículo (Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária)Ainda de acordo com a polícia, o garçom estava nervoso, o que motivou uma revista mais minuciosa no veículo. Durante a vistoria, foi encontrado um teto falso, instalado entre o original e o forro interno. Dentro do compartimento estavam 170 tabletes de crack, com um peso total de aproximadamente 180 quilos. Além do entorpecente, foram apreendidas 10 pistolas da marca austríaca glock, todas calibre 9 mm, de uso restrito, com dois carregadores cada. Outros 15 carregadores, com capacidade para 30 cartuchos 9 mm, também acompanhavam as armas.O rapaz afirmou aos policiais que recebeu a Kombi em Foz do Iguaçu e a entregaria na Avenida Francisco Morato, na entrada de São Paulo. Ela seria deixada em um posto de combustíveis. A polícia estima que as armas e as drogas abasteceriam o mercado paulistano. O crack apreendido seria suficiente para produzir cerca de 180 mil pedras. Como cada uma é vendida no mercado final por R$ 5, o valor do entorpecente atingiria aproximadamente R$ 900 mil.O garçom foi preso em flagrante por contrabando de armas e tráfico de drogas, sendo recolhido para o sistema carcerário da região. 


Postar um comentário